bc

O Enteado Do Meu Pai

book_age18+
38.6K
FOLLOW
166.3K
READ
playboy
arrogant
dominant
badboy
badgirl
independent
drama
sweet
mystery
school
like
intro-logo
Blurb

Logo após a morte de sua mãe ,Annalicia se vê obrigada a ter que mudar de país para morar com seu pai e sua mais nova família . Tudo o que ela não sabia era que Heitor ward '' O Enteado do seu pai '' iria fazer da sua vida um inferno, até que ela se vê apaixonada por ele . Heitor é sexy , enigmático , bipolar e rebelde . Ele esperava por anos ter a chance de colocar as mãos em Annalicia para se vingar por tudo de r**m que já passou por causa da família dela . Ela o ama e ele a odeia .

Mas será que os papéis não irão se inverter ?

Venham conferir '' O Enteado Do Meu Pai ''

chap-preview
Free preview
CAPÍTULO 01
O COMEÇO DE TUDO           Annalicía   Releio inúmeras vezes a última carta que minha mãe deixou pra mim nesses últimos meses antes que partisse , sem perceber lágrimas banham meu rosto , não tenho ninguém , estou sozinha no mundo não tenho a mínima ideia sobre o que irei fazer de agora em diante . Leio mais uma vez a carta  segurando com mãos trêmulas, tento focar nas palavras finais de minha mãe. Querida Licía Essa é a última carta minha filinha , eu só quero que tenha boas recordações de mim , eu não queria partir e te deixar , você é o centro da minha vida e ainda que eu não esteja mais ao seu lado em carne e osso , estarei em seu pensamento e através dessas cartas . Se lembra quando saíamos a praia para caçar águas vivas como você via no seriado do bob esponja e achava que iriamos encontrar de qualquer jeito e nunca deu certo? , são esses momentos e outros mais lindos que irei levar pra sempre em minhas lembranças . Eu te amo filha e sempre irei te amar. Jack aperta meus ombros numa tentativa de me confortar , fazem 2 dias que a perdi e só hoje tive coragem de pegar esta carta para ler , olhar suas letras bem esculpidas me traz uma sensação de perda tão grande que não consigo calcular , não tem como calcular eu só sinto , e sentir é horrível não tem remédio que possa curar essa dor  que me consome por dentro .Desde que minha mãe descobriu sobre sua doença escondeu de nós e começou a escrever cartas para mim , ela diz que um dia iria precisar delas durante minha vida , lembro que um dia estávamos assistindo a um filme de romance , minha mãe me disse que quando eu me apaixonasse seria daquele jeito , porque sou uma pessoa especial que cativa a todos . Minha babá tenta me confortar- Não fique assim Liss , pense que agora sua mãe esta em um bom lugar .- Olho pra seu rosto afogado em lágrimas assim como eu , ela está tentando ser forte pra mim , mais é perceptível como nós duas estamos destroçadas . Suspiro passando as costas das mãos pelo meu rosto -Não tenho mais ninguém Jack a não ser você - Digo baixinho , não tenho forças pra falar , a tristeza não deixa -Sabe que não é verdade ! você tem seu pai. - Ele destruiu a vida da minha mãe , não preciso dele! , ele nos abandonou e foi viver com outra mulher sem se importar como iriamos ficar , eu o odeio ! -Essa palavra é muito pesada para dizer desta forma minha querida, lembra sobre o que sua mãe sempre falava?... A raiva corrói.. -E envenena - Completo sorrindo de leve com as lembranças - Sinto muita falta dela - Mordo o lábio quando quero chorar de novo. -Eu sei que sim , e sei mais ainda como esta sendo difícil para você .-Acaricia meu rosto - Sua mãe te ensinou a ser forte meu amor , você vai conseguir, eu acredito em você!-Sorri pra mim -Eu não sei lidar com o que estou sentindo - sussurro de cabeça baixa -Temos que aprender a conviver com a dor minha princesa , ela nos fortalece ,  ainda que seja extremamente dolorosa. Nunca imaginei que perderia minha mãe logo na minha adolescência aos 15 anos de idade, tinha tantas coisas para mostrar a ela pra dizer pra me aconselhar quando eu estivesse com medo de enfrentar o mundo .E agora sou eu sozinha pra enfrentar a tudo e a todos . Jack anda comigo até meu quarto me deitando na cama , estou vestida com meu pijama de ursinhos que minha mãe me deu de presente no meu aniversario do ano passado , essa é uma forma de senti-la perto de mim, me deito sobre minha cama e jack coloca o lençol em volta do meu corpo -Tudo ficará bem ! esta certo? , eu estarei com você- me da um beijo em minha testa -Obrigada por tudo Jack , você é mil! - Ela sorri de leve -Agora vá dormir , precisa descansar . Assinto com um balançar de cabeça enquanto ela vai até a porta ,me da uma última olhada e sai fechando a porta . E agora no escuro do meu quarto me permito chorar mais uma fez de soluçar com o rosto enfiado no meu bichinho de pelúcia , um dos vários presentes da minha mãe quando eu era criança . Enterro meu rosto nele o abraçando contra meu corpo e assim adormeço sonhando com minha mãe , ela dizia que minha vida iria mudar , mas que não era pra eu ter medo , ela estaria comigo .                                                                       *** Acordei cedo mais não tive coragem de me levantar , hoje é domingo . Eu não quero ter que sair e ficar me lembrando do que fazia aos finais de semana com minha mãe , fico por longos minutos olhando pro tento me lembrando de cada segundo antes de sua partida . -Liss , levante - se e vá fazer suas higienes Jack diz entrando em meu quarto -Não estou com vontade de me levantar agora - Continuo olhando pro teto Ouço-a suspirar e caminhar até minha cama - Você tem visita Olho pra ela me sentando na cama junto com meu bichinho de pelúcia - Que visita? , eu não tenho amigos - Tudo culpa daquele homem que é meu pai , por causa da sua fortuna e popularidade , me proibiu de ter amigos porque segundo a ''modéstia '' dele todos estavam interessados em meu dinheiro ou seja na posição social que tenho , mais não faço a mínima questão de ostentar isso,  aprendi com minha mãe a ser humilde . Observo Jack mudar o peso de uma perna pra outra , parece incomodada e receosa - Sei que isso parece ser difícil pra você meu amor , mais te peço que fique tranquila - Diz de forma nervosa se sentando na beira da minha cama ao meu lado Permaneço olhando para ela - O que quer dizer com isso Jack? Ela fica me encarando por uns segundos e segura minha mão - Seu pai esta aí e quer te ver - Me solto dela abrupto com olhos arregalados , balançando minha cabeça em negativa. - Não eu não quero vê-lo!, o que ele faz aqui? -Liss não dificulte as coisas , é seu pai. -Agora ele se lembrou que tem uma filha? - Fecho a cara me sentindo com raiva , minha mãe morreu, sequer ele teve a decência de comparecer ao seu enterro ! . Claro deve ser peso na consciência. -Por favor meu amor...- Jack tenta me convencer Alguém irrompe porta a dentro Engulo em seco quando vejo que é meu pai Richard Martín -Annalicía ! , eu vim te buscar - Esbugalho os olhos me agarrando em jack -O que .. o que está falando? , eu não vou a lugar algum com você! - Balbucio me sentindo aflita Ele passa a mão pelo cabelo e olha em direção da porta , meus olhos o seguem -Senhorita Bridgete entre por favor - Diz com sua forma crua e imponente que me deixa avida de raiva , era exatamente assim que tratava minha mãe ,quando ela o amava com todo seu coração. -Quem é essa mulher e o que faz aqui? - Sussurro me agarrando mais e mais em Jack que parece tremer também -Assistente social .Você vai morar comigo a partir de hoje Annalicía e não quero saber de birras !- Respiro com dificuldade e olho pra jack que também está em choque , não estou diferente disso. - Não pode me obrigar a morar com você! , eu não vou - Começo a chorar me agarrando mais firme em minha babá, ela me abraça acariciando minhas costas -Você não tem o que querer - Ele sorri e senti todo meu estômago dando um grande nó - Explique para ela senhorita - A olha A moça curvilínea de olhos atentos me encara com uma postura amigável . Porém não quero saber disso , nada que me disser vai me fazer ir morar com esse homem    que destruiu a vida da minha mãe! -Annalicía é um prazer te conhecer - Ela sorri - O que o senhor Martín quer dizer é que ele tem sua guarda e você não pode mais morar aqui sozinha , terá que ir para a casa dele , ja que você é de menor , tem apenas 15 anos . Coloco a mão livre sobre minha boca e caio no choro ao negar com a cabeça - Não ..NÃO! -Grito - Eu não vou morar com você!, eu tenho a jack , me deixe em paz .. você nunca..NUNCA! se preocupou comigo nem muito menos com minha mãe! , e agora aparece aqui para me levar pra morar com você?- Berro me sentindo exaltada -Você querendo ou não terá que ir , não gostaria de ir para um orfanato não é? - Meu pai arqueia a sobrancelha -Preferia ir para lá a ter que ir morar em sua casa , juntamente com a mulher que destruiu a vida da minha MÃE! - Vocifero -Não vou ficar discutindo com você! , é uma menina não sabe o que esta dizendo!- Fala com impaciência - Agora vá se arrumar que estarei te esperando na sala! , não tenho muito tempo , nosso voo sai em meia hora - Diz cortante e me da as costas saindo do meu quarto A moça que veio com ele me olha com pena e sai também porta a fora Olho pra jack que já esta chorando e enterro meu rosto em seu ombro ao pranto me cobrir -Não quero ir Jack! , pelo amor de Deus me ajuda...eu não quero ir morar com pessoas desconhecidas -Eu sei meu amor eu sei , eu queria muito que você ficasse mais ele é seu pai e tem a sua guarda , na ausência da sua mãe na justa lei automaticamente ele tem todos os direitos sobre você - Beija minha testa  -O que eu faço?- Sussurro fungando -Seja forte como sua mãe lhe ensinou! , eu nunca vou abandonar você. Vou ver o que eu faço , mais não te deixarei sozinha , nunca! Fecho meus olhos enquanto nos abraçamos chorando a nossa despedida Como toda minha vida mudou em um tão curto prazo de tempo? , é como se eu estivesse indo aos poucos pro inferno! .O  que poderia acontecer de pior?, realmente não quero e nem posso imaginar. Jack arrumou as minhas malas enquanto tomava banho , quando sai do banheiro tudo já estava em suas respectivas malas , suspirei e abracei novamente , não pude evitar chorar , é tudo tão doloroso , jack é a única lembrança viva que tenho da minha mãe . -Olhe só como esta com os olhinhos inchados de tanto chorar minha princesa - acaricia meus cabelos - Calma , vai dar tudo certo!- Beija mais uma vez minha testa- Agora vai se vestir , já escolhi sua roupa , está em cima da cama -Promete que não vai desistir de mim? -Pergunto com voz entrecortada -Nunca!- Sorri                                                                         ***   Suspirei olhando ao redor do meu quarto , o lugar em que fui feliz durante toda minha infância , não consigo acreditar que estou indo embora da minha própria casa .Olho pra jack e solto o ar dos pulmões , me viro saindo do quarto enquanto ela me segue trazendo minhas malas . Quando chego na sala meu pai parece Impaciente , anda de um lado para o outro falando no celular , a imagem me deixa exasperada .Não acredito que vou morar com ele . Então ele se vira e me vê , com quem quer que seja que esteja falando ele encerra a chamada sorrindo pra mim. Engulo em seco mantendo minha expressão neutra -Pronta? - Não digo nada - Então vamos !- Toma as malas da mão de jack levando para fora da minha casa Me viro para jack agarrando em suas mãos , ela já esta chorando mais sorri -Se cuida minha flor!, você esta em minhas orações , qualquer coisa me ligue -Eu te amo jack - A abraço forte sentindo meu coração apertado , limpo os olhos e respiro fundo ao me afastar dela -Vamos Annalicia - Meu pai aparece me chamando Olho mais uma vez pra jack - Até breve minha babá- Ela deixa um soluço escapar e beija minha testa , me despeço mais uma vez dela , enquanto meu pai me segura pelos ombros me conduzindo para fora de minha casa e acena pra Jack . Quando chego no seu carro , olho em volta , do meu jardim a minha casa simples e linda assim como minha mãe gostava , cubro minha boca com as mãos entrando dentro do carro , quando meu pai da a partida , olho pra jack que esta parada na frente da porta me dando tchau lhe correspondo também , chorando ao ver tudo que vivi com minha mãe ficando para trás , abri minha bolsa e solucei ao olhar para todas as cartas que ela fez para mim , eram as minhas únicas lembranças e nosso álbum de fotos que carrego comigo . Meu pai não me dirigiu uma só palavra durante toda a viagem , íamos para Chicago a terceira cidade mais populosa dos EUA. Quando embarcamos , me despedi do Brasil com um olhar triste , eu estava triste , tinha acabado de perder minha mãe , minha vida estava toda lá , minha babá , não sei quando a veria novamente . Nos acomodamos na poltrona , eu estava sentada ao lado da janela e meu pai do meu lado , ele tamborila os dedos no colo e me olha , parece um pouco nervoso - Irá se acostumar , Chicago é enorme e logo fará novos amigos - Reviro os olhos e olho pela janela , como se eu tivesse algum e ele deixasse , sinto vontade de protestar mais nem força para isso tenho - E também não ficará só , tenho um enteado ele se chama Heitor , vocês se darão muito bem , ambos adolescentes e quase da mesma idade , ele tem 17 anos daqui a dois meses ficará de maior - Continuo calada , era só o que me faltava ter que aguentar um garoto que com certeza deve ter todas as regalias que não tive e além do mais deve ser um chato , já estou o odiando antes mesmo de o conhecer . Vendo que eu continuava muda , meu pai resolveu se calar pegando um jornal para ler e agradeci em minha mente , tudo que eu não quero é conversar , preciso tentar me manter tranquila , porque meu extinto grita para berrar dentro deste avião e inventar uma historia de que estava sendo sequestrada , no entanto não posso dar uma de m*l caráter , minha mãe não ficaria orgulhosa disso e tudo que não quero é manchar sua memória . Meu pai me olha quando a aeromoça se aproxima de nós - Quer comer alguma coisa? - Lhe olho com cara de poucos amigos , ele se remexe em seu acento de forma desconfortável me dando um olhar de aviso - Traga um sanduiche e refrigerante por favor para ela , só esta cansada- Se explica para a aeromoça que lhe olha abobada se retirando em seguida Em meu subconsciente reviro os olhos para ela Pouco tempo depois ela volta com o lanche , o peguei e comi , estava com fome e se fosse para irritar ele precisava estar forte , o olhei pelo canto do olho e pareceu satisfeito o que ignorei . No restante de todo o trajeto cochilei um pouco e acordei sendo chamada por ele , abri os olhos me sentindo confusa até me dar conta de que já tínhamos aterrissado , me levantei e seguimos para o desembarque . Já tinha um cara enorme com luvas nas mãos e um boné de retardado nos aguardando , não pude frear uma careta , para que isso?. Quando saí na rua quase caí , o frio corroía todo meu corpo , e olha que estava vestida com um sobretudo e muito bem agasalhada . Eu odeio o frio e parece que terei que engolir isso aqui também . O motorista pegou todas minhas malas , ao se ver que meu pai só tinha uma pequena de mão . Adentramos no carro sendo cumprimentada pelo motorista que soube se chamar Jimmi , ok ele parece ser simpático  mas isso também não me importa , apenas acenei pra ele me limitando a falar qualquer coisa. Fiquei olhando pela janela sem observar nada na verdade , numa tentativa habilidosa de me esquivar de entrar numa conversa desnecessária com meu pai , não queria falar com ele , na verdade eu não queria falar com ninguém , tudo que queria era estar deitada em minha cama e na minha casa que ficou para trás  chorando no colo de Jack , mais pelo que vi farei isso nesse mundo de horrores que estou entrando sozinha ,contudo pelo menos tenho meu ursinho Harold ao qual apelidei por ser fofo . Em algum tempo depois percebi que fomos nos distanciando da cidade e entrando numa vizinhança onde só se via casas de grande portes , casas não! mansões , olho pra frente quando logo vejo imensos muros e um grande portão. --Chegamos! - Meu pai diz pra mim enquanto estreito os olhos nele Os portões automáticos se abrem nos permitindo entrar , corro os olhos pelo lugar e posso admitir que é tudo muito bonito embora com certeza seja extremamente extravagante , assim como a imensa casa que esta diante de mim nesse exato momento. Descemos do carro e meu pai vem para meu lado me abraçando pelos ombros , enquanto estou com minhas mãos dentro do bolso do meu sobretudo .  Olho pra ele e suspiro. Ele me incentiva a andar , subimos um rampante de escadas até que dou de cara com uma sala enorme que mais parece um salão , ilustres por todo canto da casa e uma enorme escada que mais parece aquelas vistas em filmes ou algo do tipo . -Esta é sua casa! , seja muito bem vinda minha filha- Meu pai diz quase contente e tenho que olhar mesmo pra ele e o encontro sorrindo pra mim genuinamente , desvio do seu olhar e me concentro em olhar ao redor , quando dou de cara com um rapaz  esguio, se veste todo de preto dos pés a cabeça , seus olhos de um verde absurdamente lindo e parece me estudar com atenção enquanto seu semblante é fechado , ele caminha até nós enquanto reparo em seus cabelos , que são castanho claros que eu sei que é loiro encaracolados , uma verdadeira juba . Assustei-me quando me peguei pesando que gostaria de poder enfiar minhas mãos por ali ,reparo bem na forma com a qual ele me olha e não gosto , seu olhar é hostil como de um predador , ele me olha do pé a cabeça e o vejo torcer o nariz .Era perfeito demais pra ser verdade , tinha que ter alguma coisa de r**m . Já o odeio! -Annalicía , este é Heitor meu enteado!- Não consigo não olhar surpresa pra meu pai , pega desprevenida Olho pro rapaz de volta que esta com os braços cruzados sem deixar de me encarar , isso esta me deixando incomodada - Heitor cumprimente a sua mais nova irmã - Meu pai sorri enquanto nós dois fazemos uma careta de desagrado. Sou filha única e nunca na vida gostaria de ter um irmão tão insuportável como ele! Ele só me olha mais uma vez sem nada demonstrar e se vira nos dando as costas subindo as escadas. Fico o olhando boquiaberta - Não ligue Annalicía , ele só é um pouco rebelde!- Meu pai explica Não acredito que m*l pisei na casa e já tenho uma pessoa que parece me odiar , sem que eu sequer tenha  feito nada .

editor-pick
Dreame-Editor's pick

bc

Atração Perigosa

read
8.6K
bc

Atraída por eles.

read
59.8K
bc

O NOVO COMANDO HERDEIROS DO ALEMÃO ( MORRO)

read
14.2K
bc

Chega de silêncio

read
2.3K
bc

INESPERADO AMOR DO CEO

read
36.8K
bc

Querido TIO.

read
9.8K
bc

O plano falhou: O Retorno da Filha Abandonada

read
8.8K

Scan code to download app

download_iosApp Store
google icon
Google Play
Facebook