bc

Grego

book_age18+
568
FOLLOW
1.4K
READ
possessive
badboy
drama
bxg
city
crime
cruel
like
intro-logo
Blurb

Nascido e criado na favela do rio de janeiro,o pequeno grego teve que se virar pra sobreviver sozinho e jogado nas ruas aprendeu a mão confiar em ninguém,ele salva um dos dono da favela mais perigosa do rio de Janeiro,em troca o homem o torna seu afilhado digno de sua confiança grego foi subindo no conceito do feche e logo se tornou seu braço direito,conheceu seu melhor amigo paulista e juntos mantiveram a segurança do morro,grego se tornou o chefe logo depois do seu padrinho morrer em uma emboscada,tomado pelo ódio ele se tornou ainda mais frio e c***l,não perdoava nada nem ninguém só confiava em paulista seu melhor amigo,que veio de são Paulo e foi alegados as traças nas ruas do rio e juntos vão apronta e se apaixonar muito,Amanda e Jéssica entram nas suas vidas para atrapalha ou melhora o que já estava r**m,grego logo se vê perdidamente apaixonado pela Amanda mas luta contra seu próprio sentimento com medo de ser deixado outra vez

chap-preview
Free preview
introdução
Me chamo Gregory mas sou conhecido como grego,nascido e criado na cidade maravilhosa fui abandonado pelo meu pai,ou melhor progenitor aos cinco anos de idade fu morar em vários abrigos até começa me virar nas ruas,apanhei,comi lixo, trabalhava duro dia e noite pra sobreviver conheci o pior das pessoas e hoje me tornei igual ou mil vezes pior,aos quatorze anos estava vindo de uma feira eu costumava ajudar as pessoas lá em troca de uns trocados ou até mesmo de lanche, frutas e um prato de comida ouvi uma confusão sinistra uma discussão braba mesmo em um dos beco que eu dormia vi um homem de um metro e setenta cercado por três caras tudo armado pegaram ele na covardia,eu não gosto de gente covarde então parti pra cima eu parecia mais um grilo saltitante do que outra coisa,como não aguentava na mão puxei uma barra de ferro e dei nas perna de um ,na cara de outro um deles pegou a arma e apontou pra mim peguei a arma que estava perto do meu pé e sem saber atirar,soltei bala em cima deles um deles morreu na hora ao tentar fugir,os tiro chamaram atenção de todos,ajudei o homem a levantar botei a arma no cós da bermuda e fomos embora ajudei ele chegar na beira do morro onde ele disse que morava,deixei ele com uns cara armados e joguei a arma perto dele e meti meu pé sem dizer nome nem nada,eu não queria confusão pro meu lado então ,tive que encontrar outro beco pra mim morar já tinha passado uns quatro meses desde que tinha acontecido aquilo tudo,um belo dia chuvoso encontrei meu melhor amigo e irmão debaixo da sacada morrendo de frio e fome,sem nem o conhecer chamei ele pra ir pro meu beco e ele na mesma hora veio,seu nome era paulista tinha quatorze anos também e juntos começamos nós virar nos becos da cidade um ajudando o outro e ambos se protegendo aí mano hoje é dia de feira,sem roubos só ajudamos tá e tudo que conseguimos trazemos pra casa- falei com paulista paulista - pode deixar mano,boa sorte pra nós - fizemos toque e fomos cada um pra seu lado já tinha escurecido e nada de paulista voltar,do anda escutei um barulho fui vê ele estava com uns cara armados e me chamando paulista - não fiz nada de errado mano,eles estão caçando você - fala assustado vapor- o chefe mandou levar os dois pro morror agora- fala e sai me puxando subimos o morro dentro do carro ,fomos parar lá no topo aqui era lindo e assustador ao mesmo tempo,chegamos perto do homem ele estava de costa e fumando um baseado,quando chegamos ele se virou e pude vê que era o cara que eu tinha salvado,pronto só faltava ele achar que eu tinha roubado alguma coisa caveira- sentem,lembra de mim?quatro meses atrás você salvo minha vida,fez por mim o que essas merdas aí nunca fizeram,meu nome é caveira e o de vocês?- diz olhando prós soldados e pra nós logo em seguida sou Grego e esse o paulista - falei nossos apelidos caveira- saiam,quero conversar com os dois a sós - fala e os cara saem o que quer de nós?- falei sério caveira - retribuir o que você um dia fez por mim,quero chamar os dois pra morar aqui no morro e trabalharem pra mim aceitam?- fala sério paulista me encarou esperando eu decidir sabia que o que eu aceitar ele também toparia,então pensando em termos uma vida melhor logo aceitei caveira nos levou pra casa dele,tinha umas roupas lá que a mulher dele tinha comprado tomamos um belíssimo banho e fomos comer,nunca havia comido tanto assim em minha vida,do nada bateu lobeira e apagamos ali no sofá mesmo,só que acordei no quarto então fui caçar o paulista que estava no quarto em frente,descemos juntos e só estava a esposa dele paulista - a senhora quer ajuda com alguma coisa?- fala sem graça dona- não meu amor muito obrigada,sentem vou servi a janta - diz sorridente janta?são que horas?- perguntei assustado caveira - nove horas em ponto- chega do nada dona- amor,o jantar está servido vamos comer- fala se sentando sentamos com eles e começaram nos encher de perguntas o que não gostei muito mas respondemos assim mesmo dona- vocês são de onde?- pergunta nos servindo eu sou daqui mesmo - respondi e abaixei a cabeça paulista - sou de São Paulo tia- fala triste caveira - cadê os pais de vocês?- fala nos encarando paulista - pra ser sincero não faço idea,só sei que meu pai era casado e eu como fruto de uma amante nunca o conheci,minha mãe faleceu quando eu tinha seis anos e meus tios me mandaram pra cá,pra morar com uma outra tia mas infelizmente ela morreu e vim parar na rua,até acha meu mano que me deu abrigo- fala sem graça e me olha minha mãe morreu eu tinha um ano,meu pai me largou por aí aos cinco e é isso tudo que sei,vivi em orfanatos até decidi me virar sozinho até o dia que conheci meu mano- falei de cara fechada e olhei pro paulista ambos sorrimos dona- azar desses pais irresponsável,vocês são muito bem vindos aqui meninos- fala sorridente terminamos a janta e ficamos ajudando ela com a louça,logo fomos fala com senhor caveira sobre os trabalhos,ele nos explicou que iríamos ficar com os vapores aprendendo o ritmo do lugar e como éramos menores de idade e não tínhamos passagem iríamos vender uns negócios no asfalto mas não poderíamos vender pra criança e nem mulher grávida,senão iríamos ser cobrados e assim seguimos Todos os dias íamos trabalhar,começamos como vapor depois fomos subindo os cargos e agora sou gerente e o paulista meu subi,controlamos o que entra e sai daqui,os lucros e quem deve e tá em dia os anos foi passando e nosso corres só aumentando hoje em dia a dona é como nossa mãe temos um amor e respeito por ela enorme e ela nos trata como filhos,esses dias teve invasão e largamos os dedos nos carniça foi por pouco caveira foi baleado mas passa bem tá uns dias afastado do movimento então me colocou no lugar dele por esses dias e continua o ritmo vendas em altas,bailes lotado, movimento está tranquilo nem polícia nem os rivais atacando está tudo na paz graças a Deus,semana que vem caveira já está de volta na ativa e todo dia quando chegamos em casa dávamos conta a ele de tudo que foi vendido,e foi feito,de vendas a cobrança conquistamos a confiança dele e a inveja dos outros,rolou várias intrigas e acusações contra eu e paulista ficamos de molho um bom tempo e viram que não éramos nós dois que estávamos o roubando pelo contrário só fluía as coisas até com os moradores que os odiava eles passaram nos respeita,muitos daqui trabalham na feira onde eu e paulista ajudava em troca de comida e eles nos adoravam e até hoje sempre que podemos ajudamos eles,tantos os novos quantos os idosos e isso gerou uma certa confiança dos moradores com a gente,aqui tem uma tia que faz um rango dahora ela me alimentava todos os dias lá na feira ela era um amor de pessoa, infelizmente ela está doente então eu e paulista fomos na casa dela fazer uma visita e tinha duas moças lá que cheguei ficar de p*u duro,mas não vim aqui pra isso com licença dona Joana está?- perguntei pra mulata dos cabelo enrolado xxx- sim, você é o?- perguntou nós encarando paulista - somos os meninos que ela ajudava na feira,grego e paulista ficamos sabendo que ela estava m*l e viemos fazer uma visita - fala a olhando xxx- calma ai- sai e logo volta entramos e fomos até a sala onde a dona Joana estava sentada, tristonha e uma outra moça tentando fazer ela comer xxx- vó,por favor só um pouco vai?- diz tentando da comida a ela que isso dona Joana,não quer se alimentar porque?- cheguei já falando paulista - da licença moça com todo respeito,comigo ela vai comer tudinho né dona Joana,fazer aviãozinho igual senhora fazia quando não queríamos comer legumes- pega o prato e da comida na boca dela ficamos um tempão com ela, conversando sobre vários nada e como nossas vidas mudou esses anos e agradecemos muito, senão fosse por ela cuidando de nós não estaríamos aqui hoje,mostramos nossos cordão que ela deu e ela ficou toda boba, então ela finalmente resolveu nos apresentar suas netas dona joana - essas são minhas netas,Amanda e Jéssica,esses são meus netinhos que a vida me deu grego e paulista - fala nós olhando e sorridente satisfação moças - apertei a mão delas paulista - satisfação-diz babando na Jéssica Amanda - satisfação,vó o papo está muito bom mas está na hora do remédio,eu vou trabalhar e depois volto pra ficar com a senhora - diz dando o remédio e um beijo nela e saindo Jéssica - vou só esperar a moça que olha ela chegar e vou ir pra escola,cuidado na rua tá - da um beijo na Amanda e fecha a porta paulista - vocês são sozinhas dona Joana?- pergunta já sabendo a resposta dona Joana - somos sim,elas duas se dividem entre os estudos e a feira pra me ajudarem- fala triste podemos te ajudar com algo?trabalhamos pro caveira e moramos na casa dele,como não temos dispensas podemos ajudar a quem sempre nos ajudou - falei com ela dona joana - eu agradeço meus amores,mas em breve estarei melhor não precisa não ta- fala nós abraçando ficamos lá até o rádio apitar e fomos pra boca mas antes paulista deixou o contato dele com a Jéssica caso a dona Joana precisa-se e saímos batido e fomos conversando sobre as meninas e o interesse que tivemos nelas mas encerramos o assunto,caveira estava xingando deus e o mundo lá entramos e ele veio com uns papo torto pro nosso lado e já fiquei virado no satanás também caveira- ajudo vocês e assim que retribuem?me roubando?- diz gritando paulista - não roubamos ninguém,vai ficar nessa até quando?- diz nervoso também olha se for pra me chamar de ladrão quase todo dia estou dispensando sua ajuda e prefiro voltar pras ruas,sempre me virei sem tirar o que é dos outros não vai ser agora que farei isso- falei puto levantando caveira - desculpa desculpa,vocês dois são meus filhos não tenho que desconfiar de ninguém-diz nos encarando depois de xingar e berra aos quatro vento que éramos ladrão ele nos explicou que queria que pensassem que ele estava puto pra vê quem era os de fé dele e quem não era,ele estava desconfiado de traição e se o pessoal soubesse que ele estava com raiva dos "filhos" iriam vacila e poderíamos pegar ele ou eles,então entramos na onda e saímos putos da vida xingando também fomos pra casa da dona Joana e pedimos pra ficar lá uns dias e ela deixou,se passou uma semana e finalmente descobrimos o traíra e ele pegou com a vida e já foi é tarde deixamos um dinheiro lá com dona Joana e voltamos pra casa da dona e do caveira,hoje era baile e como não tínhamos idade caveira não nos deixava ir, palhaçada mas se ele liberar pra dois logo logo vai tá cheio de criança em baile e ele tem bronca disso quando ia nos baile dos aliados e cheio de meninas e meninos da nossa idade se esfregando,fumando bebendo lá,e ele não queria isso pro morro dele,quando estavamos na casa da dona Joana ouvimos vários tiros,fogos era uma invasão e as netas dela estava na rua peguei a moto que eu estava e corri pra rua tentar achar elas e paulista ficou com dona Joana, encontrei as meninas em um beco encolhidas botei elas na moto e parti pra casa do caveira onde paulista já estava lá,quando encontrei elas pedi ele pra levar dona Joana pra lá e trancar elas no cofre junto com a dona demos um beijo nelas e partimos pra quadra onde estava tendo o baile,tiroteio comendo solto pegamos o caveira e demos fulga pro esconderijo dele e de novo ele ficou nos devendo sua vida,quando tudo se acalmou ele foi pra boca e soltou os bicho nos soldados que não os escoltou e os mandou vazar do seu morro,deu um aviso que na ausência dele eu seria o dono do morro e paulista meu sub,ficamos nos encarando e encarando ele como se tivéssemos visto fantasmas,sem reação nenhuma não esperávamos isso no mínimo um aumento salário ficamos de queixo caído mas seguimos o baile e fomos vê as meninas e a dona Joana e dona,graças a Deus elas estavam bem só assustadas e não é pra menos 4 anos depois Hoje faço dezoito anos e sou dono de tudo aqui, infelizmente naquele mesmo ano os soldados que caveira demitiu voltaram e tiraram sua vida na covardia mas claro não desceu um vivo daqui foram geral pro saco,eu e paulista estamos comemorando nossos dezoito anos com estilo baile funk,regado de putas,bebidas e drogas a vontade,continuamos morando com a dona ela é como se fosse nossa mãe apesar de não apoiar nossas mudanças ela é uma ótima mãe,dona Joana morreu dois anos atrás não temos mais contato com as netas dela que foram embora pra estudarem mas garantiram que voltavam,quem sabe um dia eu reencontro a Amandinha,sempre tive uma queda por ela sinto muita falta das bronca que ela me dava mas quem vive de passado é museu,eu não namoro nem me apaixono,fiquei com uma mina que eu era gamadão mas a vagabunda tentou me dar o golpe da barriga,me usou e depois jogou fora meti o louco e mandei expulsa ela e o cara que comia ela,o doido sem entender nada ficou puto com ela quando soube que ela engravidou dele e tentou fazer parece que o bebê era meu,aí o menino nasce um baita galego dos olhos azuis aí não deu pra não matar mandei vazar, também não iria deixa o menino órfã por causa das merda da mãe né,sei como é ser criado jogado por aí,paulista se apaixonou por uma vigaristas também que fez um aborto e ele quase mata ela na porrada,o menor era doido pra ser pai e a maluca mata um filho dele pediu pra morrer né?nunca vou entender essas mulheres não quer filhos,usem camisinha,tomem remédio,no meu caso a desgraçada furou o bagulho pra me enganar,desde então só uso as mulheres e que se f**a mulher nenhuma é digna do meu amor,mulher pra mim só serve pra mim gozar e nada mais as únicas mulheres que prestaram na minha vida foi a minha mãe dona e dona Joana o resto servem pra nada,acordei cedo hoje pra agitar nossa festa mas antes eu e paulista iríamos passar o dia com nossa mãe já que ela não vai a baile funk a anos,estava me arrumando e paulista me apresento como sempre,parece até que foi feito nas coxas eu em paulista - p***a grego tá pior que mulher vamos cara- gritou da sala tá chato pra c*****o em,tava ficando mais gato quer deixar,cadê minha mãe?- falei descendo as escadas me gabando mãe - meu deus nem aparece que estão fazendo dezoito anos,ainda são duas crianças grande- diz vindo da cozinha e rindo qual foi mãe,partiu shopping - falei abraçando ela passamos uma tarde maravilhosa com ela,voltamos já era a noite fomos na boca da os últimos toque nos cara e o que caveira disse ainda estava valendo,nada de drogas para crianças e grávidas,nem em sonhos entra crianças no baile e adultos só com indentidade e claro se tentarem me enganar vão tomar uma coça pra ficar um mês de repouso,tomei um banho vesti minha beca uma calça jeans preta,uma blusa polo azul clara,meu cordão de ouro e o cordão que a dona Joana me deu,um perfume dos bons pra ficar bem cheiroso,meu tênis da Nike ,meu cabelo está na régua com um corte moderno alto em cima e baixo dos lados com um desenho em baixo,sai do quarto e fui pra sala esperar paulista e minha mãe me encheu de elogios,logo ele desceu com uma calça jeans escura,uma polo branca,seus cordões de ouro e o que dona Joana deu a ele todo na beca e saímos no carro como sempre íamos e voltamos juntos sempre usamos um carro só,as vezes o meu as vezes o dele e as p**a que comemos ficava por ali no baile mesmo no quartinho do camarote,era só lances de final de semana,baile comeu solto até umas seis da manhã geral foi pra casa e o pessoal da limpeza foi fazer seu trabalho não gosto de vê meu morro sujo não principalmente atrapalhando os trabalhadores indo pra seus trabalhos,tomei um banho e fui dormir. Acordei já era umas três da tarde,levantei e fui comer alguma coisa hoje eu iria ficar de molho em casa,e paulista também bebemos muito zoamos pra c****e com os aliados foi bom demais pra ficar melhor só faltou quem nos botou no topo caveira nosso eterno pai,hoje iríamos curti nossa ressaca no colinho da mamãe como ela sempre nos zoa,bebem pra c*****o e depois vem curar suas ressacas no colinho da mamãe,desci e bati dois pratos de estrogonofe comi até entupir e fui ficar deitado no sofá,eu fiquei em um e paulista em outro e nossa mãe chegou sorridente já estranhamos ela foi direto pra cozinha e voltou com um pote de açaí pra nós dois e com todos os mantimentos que gostamos e começou a conversa mãe - então meus meninos,eu estava com um amigo das antigas e ele me deu esse açaí pra dar a vocês e os convidar pra um jantar com as afilhadas deles o que acham?-ela diz preocupada paulista - complicado em mãe,se for te fazer feliz eu vou,mas sem segundas intenções com essas minas ai- fala sem olha pra ela,mexendo no celular tô com paulista,sem segundas intenções eu topo,mas da onde é esse maluco aí?- falei a encarando mãe - estudamos juntos no primário e também fizemos faculdade juntos ,até seu pai chegou conhecer ele,e vocês também vão gostar somos muito amigos,então posso avisar a ele que hoje a noite vamos todos jantar com eles?- fala mais animada pode sim,espero que tenha uma sobremesa gostosa porque aquela senhora que fomos almoçar na casa dela, poxa estava r**m demais- falei rindo e eles também riram paulista - pow mãe,aquilo é verdade nossa comida péssima - fala e rimos mais ainda ficamos jogados no sofá e depois fomos pra piscina,já estava anoitecendo e fomos nos arrumar,eu estava usando uma calça saruel,um cordão de ouro e o que dona Joana me deu,perfume exalando,desci e me joguei no sofá logo paulista desce com uma calça jeans,cordão de ouro e o cordão da dona Joana e um tênis p**a,perfumado também,minha mãe com um vestido colado florido e toda no estilo paulista - esse cara é só amigo mesmo mãe?- fala a encarando e ela fica sem graça tô vendo que não - falei a olhando mãe - falou os garanhão que não queriam conhecer ninguém sem segundas intenções né - fala e rimos fomos no meu carro e chegamos rápido o cara pediu pra entrarmos e demos de cara com amandinha e Jéssica,mais elas estavam gostosas pra Caraí baita corpão ficamos de boca aberta e fomos cumprimenta elas nossa estão lindas,como estão?- falei beijando as duas paulista - quando foi que cresceram desse jeito?- falou de boca aberta Jéssica - parem de babar eu em,como estão pegadores?- fala nós abraçando amanda- Oi meninos lindos,como estão?- fala abraçando eles porque não falaram que era elas?- perguntei minha mãe mãe - vocês não me perguntaram -falou rindo amanda- parabéns atrasados,então bora comemorar?- falou animada curtimos bastante nossa noite e depois deixamos eles largados lá e fomos pra pista eu Amanda paulista e a Jéssica,curtimos bastante e ficamos até de madrugada na rua,bateu aquela larica Jéssica - estava sentindo falta disso,vocês são demais e as putas de olho né - diz nós olhando e rindo paulista - fica com ciúmes não minha gata,somos só de vocês - falou rindo e piscou pra ela Amanda - uma hora dessa paulista,vamos comer?- falou com a mão na barriga nossa nem aparece que comeram antes de saírem de casa, conforme foi crescendo o apetite vai aumentando né - falei rindo e ela mandou dedo fomos na lanchonete que fica vinte e quatro horas aberta no morro fizemos um lanche e continuamos nosso papo não sabíamos quando seria a última vez que iríamos vê elas,depois arrastamos pra casa e fomos pra sala de cinema acabamos dormi lá na sala mesmo dia seguinte Acordamos tarde e cheio de ligações da minha mãe e do padrinho delas,falamos que estávamos bem e estamos fazendo o almoço então eles vieram rapidinho almoçar com a gente,botamos a mesa e ficamos curtindo de boa nossa tarde hoje eu iria na boca só no horário da tarde daqui a pouco né ,almocei e partimos pro trabalho quando deu uma certa hora voltamos pra casa pra curti elas mais um pouco e curtimos uma piscina aqui a piscina era quentinha então fluiu legal e foi assim até escurecer,a noite foi maravilhosa rolou um jantar,depois umas sobremesas e perguntamos quando elas iriam e só na semana que vem graças a Deus então iríamos aproveitar bastante a semana com elas,ficamos maratonando essas bobeiras que elas gostam até tarde,e acabamos pegando no sono,acordamos de madrugada e como hoje era dia de baile partimos geral pra curti só iríamos vim pela manhã e depois iríamos em algum lugar com elas, madrugada as vendas fluiu,baile lotado como sempre,muita bebida,muita droga,muito tudo ,muitas putas ,os nossos soldados tudo babando nelas,uns cumprimentaram e abraçaram elas,já que cresceram tudo juntos,as putas tentando se chegar mas esses dias eu seria da minha amandinha e paulista da Jéssica dispensamos todas pelas melhores de todo o morro,já era de manhã quando o baile acabou fomos pra casa mas antes fomos na padaria pra minha mãe não ter que vim depois, compramos pães doces e salgados,bolos,o leite que tinha acabado,ovos e uns rocambole e claro o famoso brigadeiro que elas tanto amam e partimos pra casa tomamos um banho e descemos pra tomar café reforçado depois fomos de cama e como só Deus sabe a hora que iríamos acorda,então comemos bastante principalmente as meninas que amam comer deus me livre,senti saudades delas mas não do estômago delas porra vocês comem demais em,senti saudades de vocês e não de seus estômago - falei e todos riram Jéssica - nossa depois dessa irei até me retirar,mas depois de comer Claro - fala fingindo está magoada paulista - dúvido que você saia sem terminar de comer- fala e rimos mais comemos e fomos deitar, Jéssica e paulista iriam dormi juntos como sempre,eu e amandinha iríamos dividir a mesma cama,desde quando nós conhecemos e ninguém tinha maldade com ninguém,fomos pra cama e o amanhã a deus pertence já que só pretendo acorda pela manhã duas semanas Depois infelizmente minha gata vai ir embora mas não posso deixar de me declara pra ela e seja o que Deus quiser,um não eu já tenho então vamos atrás do sim pensei que não gostava mais de ninguém até ela voltar e mexe com meus hormônios e eu ficar mais bobo que antes,então resolvi falar com ela e seja o que Deus quiser então to querendo levar um lero contigo,tá ocupada?- perguntei na porta do quarto amanda- tô não,pode falar-diz sentando na cama então,queria dizer que sou apaixonado por você desde novo,mas não tô esperando reciprocidade não, tô suave tá ligado- falei me tremendo Amanda - eu também sou apaixonada por você desde nova,mas infelizmente eu tô namorando e morando longe- fala triste pelo menos tô mais feliz e sei que é recíproco,tô mais aliviado em relação ao nosso sentimento e te desejo toda felicidade do mundo - falei a olhando elas se arrumaram e foram pra casa e só Deus sabe quando iremos reencontrar elas outra vez então vida que segue,e vamos pra p*****a que a vida é muito curta pra chorar pela ex,como diz aquela música,Só quero que você seja feliz,com ou sem mim,ela e Jéssica merecem ser felizes afinal pegaram uma responsabilidade que era de seus para si mesmas e se elas estão felizes isso que nós importa e segue o baile,hoje iria ter baile e vou descontar meus dias perdidos paulista estava sentado no sofá triste então ficamos conversando paulista - tava por onde?- diz me encarando por aí,me declarei pra ela e fiquei sabendo que ela também era apaixonada por mim,mas infelizmente ela foi embora e tem outra pessoa lá e você e Jéssica como ficaram?- falei jogado no sofá paulista - mesma merda,tô r**m viu só quero beber mas espero que elas sejam felizes elas merecem demais-fala triste hoje vai ter baile bora descontar a frustração toda lá,eu também quero que elas sejam muito felizes então baile que segue e amanhã vamos curar nossa ressaca no colinho de nossa mãe -falei e rimos mãe - aí acho que vou ir no baile com vocês também - diz sentando do lado de paulista ué,e o padrinho das meninas está por onde?não ia sair com ele?- perguntei a encarando mãe - a ele teve que levar as meninas,e vai ficar por lá um mês,vou ficar no tédio e não quero curar a ressaca de vocês - diz de braços cruzados paulista - gata desse jeito,não teríamos paz e nem como encher a cara,por causa dos soldados que vão ficar babando na senhora - fala sério mãe - para de gracinhas Paulo,eu em tô velha acabada então vocês vão me levar pra sair antes de irem pro baile-fala ainda de bico meu deus,agora quem aparece a criança em?,vamos nos arruma então madame,senhora manda e nos obedecemos- falei levantando iríamos pro shopping e depois em um restaurante chique pra almoçarmos,não tínhamos ficha nosso trabalho era limpo ninguém sabia que éramos os dono do morro então poderíamos ir e vim sempre e isso era bom não ficar presos no morro a vida toda e hoje iríamos arregaça no baile,depois do banho botei minha beca um cordão de ouro,fui bem simples pra não chamar muito a atenção desci paulista e todo mundo estava arrumado eles também estavam bem simples pra não chamar muita atenção,porque povo brasileiro é curioso pra desgraça viu deus me livre,partimos no carro de paulista;já chegamos no shopping fomos vê um filme que tinha lançado esses dias bom demais,depois fomos pra lanchonete tomar uma vitamina pra dar tempo de chegar ao restaurante,partimos pra lá o lugar era chique um dos lugares favoritos dela quando ela estava casada com caveira,curtimos bastante nossa tarde com ela e prometemos fazer isso todos os dias até o "amigo" dela voltar,fomos pra casa já era de noite fomos pra boca agitar as coisas trabalhamos até uma da manhã e como o baile já estava rolando partimos pra la,claro depois de pagar um banho e fica na beca cordão de ouro, boné e tênis da Nike,calça jeans,uma regata calor tá osso mas casaco do lado claro,perfume exalando,desci e paulista estava na beca também cabelo curtinho com desenho,calça jeans escura,blusa polo azul,tênis da Nike também,cordões de ouro e ambos com as armas no cós da calça e partimos joguei meu casaco no banco carona e fomos ,chegamos lá já tudo lotado movimento grande,sim alto,as putas já vem de gracinhas mas logo subimos pro camarote,cumprimentamos os aliados e nossos soldados,ficamos fumando e bebendo jogando conversa fora,logo veio umas putinhas fazer a alegria da rapaziada eu levei uma pro quartinho e já fui botando ela de quatro,a vagabunda estava no esquema de saia e sem calcinha,botei a camisa e meti sem dó ela deu uns grito lá mas nem liguei,continuei metendo até saciar minha vontade,tirei a camisinha,levantei minha roupa e levei pra jogar no lixo lá fora essas minas são mandadas pra pegar meus esperma e fazer inseminação pouco custa,não confio nessas birutas ainda mais que arrumam dinheiro fácil,estava conversando com os cara ,vi uma movimentação estranha lá em baixo e vi duas quenga brigando por causa de um cara e ele tentando separar,entrou na p***a da fiel também,maior mancada a mina trabalha de segunda a segunda,de baixo de sol e chuva e ele fica nos baile da vida,mandei paulista descer e resolver senão eu iria acabar com essa p*****a de um único jeito,logo eles foram embora e paulista subiu arranhado e puto da vida paulista - graças a Deus não tenho mulher,sai todo arranhado daquela p***a - diz sentando e virando um copo de whisky o que foi aquilo?- perguntei o encarando paulista - a mina deixou o filho com ele pra trabalhar,chegou o menino estava jogado e chorando horrores uma vizinha que pegou ele pra parar,ele pegou o dinheiro do aluguel e veio beber e usar drogas,mandei ele arruma o dinheiro do meu aluguel e cuidar melhor da criança senão ele iria sentar no colo do capeta e suspendi todas as vendas pra ele,o menor da boca de baixo avisou que ele estava devendo aproveitei e mandei pagar,tem quarenta e oito horas pra pagar tudo ou morre- fala sem cerimônia tá certo,bora curti - bebemos mais um pouco estava o luxo o baile,comi umas quatro p**a diferente,bebi como senão houvesse o amanhã e paulista também,só fumava cigarro e ele também drogas e essas coisas mais pesadas deixamos pra quem gostava,curtimos muito a noite toda,logo amanheceu e fomos pra casa cheguei comi alguma coisa,subi tomei meu banho e vai na cama e o amanhã a deus pertencia Acordei já de noite e infelizmente o meu amanhã chegou e com de costume nós jogamos no sofá com uma p**a ressaca,deitados no colo de nossa mãe ficamos vendo televisão até da a hora da janta,jantamos e fomos trabalhar hoje iríamos ficar madrugando adiantando já os serviços do dia seguinte,não tinha muita coisa pra fazer sempre adiantamos os trabalhos do dia seguinte por isso e outros motivos logo pegamos a confia de caveira,sempre deixa anos tudo organizado.

editor-pick
Dreame-Editor's pick

bc

Atração Perigosa

read
9.4K
bc

Atraída por eles.

read
63.2K
bc

Chega de silêncio

read
2.6K
bc

O NOVO COMANDO HERDEIROS DO ALEMÃO ( MORRO)

read
14.6K
bc

INESPERADO AMOR DO CEO

read
38.8K
bc

Querido TIO.

read
10.5K
bc

O plano falhou: O Retorno da Filha Abandonada

read
9.0K

Scan code to download app

download_iosApp Store
google icon
Google Play
Facebook