bc

UMA PATRICINHA NA FAVELA +18

book_age18+
16.3K
FOLLOW
118.5K
READ
adventure
revenge
dark
playboy
submissive
badboy
twisted
mercenary
sniper
like
intro-logo
Blurb

Eu deixei tudo para trás, abandonei pessoas que me apoiaram a vida inteira, desisti dos meus sonhos, por ele. Fiz tudo isso por ele. E não me arrependo, eu sei que vai valer a pena.

''Até o mais desandado, dá um tempo na função quando percebe que é amado.''

PRÓLOGO

Essa história, não é pra você que acredita que a vida é um eterno contos de fadas, se você tem essa ideia, por favor, seu lugar não é aqui. Mas se você acredita que a vida tem seus altos de baixos, gosta de personagens de personalidade forte e, acredita que apesar de tudo, podemos ser felizes, te convido a continuar lendo.

Rio de Janeiro. Copacabana, arpoador, pão de açúcar, turistas, Cristo Redentor, tráfico, favelas, prostituição, desigualdade. Esse é o cenário onde se passa a nossa história.

Siga @annykarollayne.escritora

chap-preview
Free preview
01
Acordei com o sol batendo no rosto, havia esquecendo-se de fechar as cortinas na noite anterior. Olhei no visor do celular, que marcava 12h00minhr. Ah, eu amo os sábados, pelo simples motivo que eu posso acordar a hora que eu quiser. Levantei-me sem pressa, tomei um banho gelado, fiz minhas higienes pessoais, passei hidratante corporal, desodorante, vesti um short jeans curtinho, de lavagem escura, uma regata branca, transparente nas costas, calçou minhas Havaianas, optei por deixar o cabelo solto, apenas prendi a franja para trás, e desci para a cozinha. Minha mãe estava preparando o almoço, cheguei por trás dela, e lhe dei um beijo no rosto. Lavínia: Bom dia, preguiça! - se virou para mim. Samantha: Bom dia, mãe - sorri sem mostrar os dentes - Que milagre a senhora cozinhando! Lavínia: Nossa quem te vê falando isso, pensa que eu nunca cozinhei né?! - balançou a cabeça. Samantha: Brincadeira mãe! - dei risada - Cadê o Ber? Lavínia: Está dormindo, vai chamar pra mim, filha. Seu pai tá vindo almoçar, não gosta que ele fique até tarde na cama! - me pediu, enquanto preparava a salada. O Bernardo é meu irmão somente por parte de mãe, seu pai foi assassinado por traficantes, quando ele tinha três anos, o motivo foi dividas de drogas. Então, minha mãe conheceu o meu pai, os dois se apaixonaram e logo casaram, mas a família do meu pai, nunca gostou da minha mãe, por ela ser pobre e já ter um filho. Digamos que somos ricos, meu pai é sócio de várias empresas, quase não para em casa. Mas eu não sou patricinha, ou nariz empinado, só gosto de viver bem, afinal quem não gosta?! Já o meu irmão, é daquele tipo de playboy nojento, que dá nojo só de chegar perto. Abri a porta do quarto do mesmo, ele dormia feito um bebê, pelo jeito a noite foi longa. Afastei as cortinas, deixando a luz do o sol invadir o ambiente. Samantha: ACORDA PREGUIÇA! - tirei as cobertas de cima dele. Bernardo: SAÍ p***a! - alterou a voz, levando o travesseiro até o rosto. Samantha: A mãe mandou tu levantar, já tá na hora do almoço! Bernardo: Que saco! - bocejou impaciente. Sentei-me em sua cama, fiquei fuçando no seu celular, enquanto ele se levantou e foi para o banheiro. Fiquei lendo as mensagens dele com o Tiago, era nojento a forma como eles se referiam as meninas. Bernardo: Oh, curiosa! - tirou o Iphone da minha mão. Samantha: Tu e o Ti, não prestam! - revirei os olhos. Bernardo: Mas bem que tu é amarradona nele! - deu risada. Samantha: Não fode! - me levantei impaciente. Bernardo: Maninha, tu vai à festa dele hoje, falando nisso? - fomos conversando, enquanto descíamos as escadas. Samantha: Vou ligar pra Ju. Mas provavelmente, sim! - dei de ombros. O almoço estava na mesa, meu pai já havia chegado e, estava almoçando. Lavínia: Crianças vem comer antes que esfrie! - sorriu. Bernardo: Bom dia, família! - se sentou. Lavínia: Bom dia, filho! Marcos: Bom dia, meus amores! - sorriu para mim e para o Ber. Samantha: Oi pai! - beijei seu rosto. Sentei-me a mesa, também. Fiz meu prato, então almoçamos em harmonia. Ajudei a minha mãe com a louça, depois subi para o meu quarto. Havia várias mensagens da Ju, no w******p. Vaca: Amiga! Eu: Oi, doida! Vaca: Festinha hoje, né?! Vai ser naquela boate descolada, na Barra! Eu: To ligada. Amiga, não to a fim de ver o seu irmão se agarrando com um monte lá! Vaca: Esquece o Thiago, tu sabes que ele é assim. Mas ficar se privando por causa dele, nada ver. Tu vai sim! Eu: Tá bom, tá bom. To precisando me divertir mesmo. Vaca: Eba! Te amo. As 23h00minhr, tu passa aqui com o Ber. Vou pro salão, beijo! Eu: Ok. Tchau, amiga!   Fiquei atualizando as redes sociais, depois resolvi começar a me arrumar. Afinal, mulher sempre se atrasa, né. Eu queria muito ir, queria me divertir. Mas, acontece que eu sou apaixonada pelo Tiago, e ver ele rodeado de meninas, não ia ser nada fácil. Fiz uma boa hidratação no cabelo, realizei uma limpeza de pele, e pintei as unhas de vermelho. Eu iria tomar banho mais tarde, enquanto isso fiquei mexendo no celular. Bernardo: Samantha? - bateu na porta. Samantha: Pode entrar - murmurei. Eu estava deitada de bruços, senti sua mão bater na minha b***a, fazendo a mesma arder. Samantha: i*****l! - gemi de dor. Bernardo: Esta grande, hein! - deu risada, e se deitou do meu lado - Tu vais? Samantha: Mas é claro! - olhei para ele e sorri sem mostrar os dentes. Bernardo: Já é. As 23h00minhr, a gente parte! - se levantou - Vou ver a Paola, agora! - mordeu os lábios. Samantha: Tu vai acabar pegando bicho no p***o, come qualquer coisa! - ri irônica. Bernardo: Relaxa aê. Tchau, maninha! - beijou minha testa, e saiu. Meu irmão se achava tanto, mas comia qualquer coisa, inclusive a periguete da Paola. A garota mais p**a do Leblon, geral já tinha pegado, inclusive o Tiago. Cochilei até as 20h00minhr, depois levantei para me arrumar. Tomei um banho caprichado, escovei os dentes, passei hidratante corporal, desodorante, meus perfumes vistam uma minissaia preta, cintura alta e bem agarradinha, valorizando meu corpo, um cropped de manga longa preto, decotado, com renda no decote. Escovei e pranchei os cabelos, deixando totalmente liso, fiz uma make caprichada (pele perfeita, olhos pretos, bem marcantes, cílios postiços, batom mate, cor vinho), calcei meu salto gladiadora, coloquei vários acessórios, deixei o cabelo solto, com a franja jogada de lado. Guardei meu celular, dinheiro e batom, em uma carteira de mão, vermelha. Dei uma última conferida no espelho, e fui chamar o Ber. Samantha: To pronta! - entrei no quarto, a porta do mesmo estava aberta. Bernardo: Uau! Tu tá arrumadinha, hein! - piscou pra mim. Samantha: Obrigada! - sorri convencida - Vamos? Bernardo: Só vou escovar os dentes, marca ai! - foi para o banheiro. A Ju já havia me ligado, mandado milhares de mensagens, mas apenas respondi um “já vamos”.  Logo o Bernardo apareceu, pegou a carteira, antes de sairmos, tiramos uma foto, mais do que depressa postei no face. Samantha: Vamos com o seu carro? - perguntei, quando chegamos a garagem. Bernardo: Vamos sim! - assentiu com a cabeça. Meus pais já estavam dormindo, nem sei se eles sabiam que íamos sair. Entramos no Audi do Ber, ele já ligou um funk no último volume, eu não gosto, mas em dia de festa é bom pra entrar no clima. Em dez minutos estávamos na casa da Ju, pegamos o elevador e subimos para o AP dela. Assim que toquei a campainha, ela já abriu a porta, toda eufórica. Juliana: p*****a achei que não ia vir! - me olhou emburrada. Samantha: To aqui, não to?! - revirei os olhos, e a abracei. Bernardo: Tá gostosa, hein, Ju! - ele riu malicioso, entrou e foi procurar o Tiago. Juliana: i*****l! - alterou a voz, falando alto o bastante para ele ouvir. Sentei-me no sofá, enquanto a Ju foi à cozinha e voltou com uma garrafa de Absolut. Samantha: Mas já?! - olhei perplexa, balançando a cabeça, em sinal de reprovação. Juliana: Tu vai tomar comigo! - sorriu animadinha. Tiago: Eu quero, hein! - ele entrou na sala, todo lindo. Senti seus olhos quase me comerem. Meu rosto corou. Juliana: Sai pra lá, Tiago! Tiago: Oi Samantha! Tá gata! - veio na minha direção, deu um beijo no meu rosto. Samantha: Oi, Thi! - retribui o beijo - Parabéns! - me levantei, para lhe dar um abraço. Ele apertou meu corpo no seu, passando a mão na minha b***a, discretamente. Fiquei totalmente sem jeito, ele parecia se divertir com isso. Então, me soltei dele, a Ju nos encarava, com aquele sorriso m*****o. Bernardo: Pô, alguém quer? - adentrou na sala, com duas garrafinhas de Heineken. Samantha: Eu quero! - sorri animada. Bernardo: Criança não bebe! - brincou me entregando a garrafa. Tiago: Vamos galera? Não é legal o aniversariante se atrasar! - fez uma careta. Juliana: Verdade, vamos! - pegou a bolsa sob o sofá. Bernardo: Vamos no meu carro? - pegou as chaves. Tiago: Pode ser parceiro! - deu de ombros. Olhei para o Tiago, que me encarava o tempo todo, ele fez sinal para eu esperar os dois saírem. Samantha: O que foi? - perguntei, logo que eles pegaram o elevador. Tiago: Tu tá linda! - se aproximou - Quer ser meu presente mais tarde? - alisou meu rosto. Samantha: Como assim? - pressionei os lábios, nervosa. Tiago: Pô, tu sabe! - sorriu - Dorme comigo, hoje! Samantha: Eu... Eu não sei, vou pensar! - dei um sorriso nervoso. Tiago: Eu sei que vai! - segurou minha cintura com força. Nós já havíamos ficado algumas vezes, o Tiago é completamente maluco pra me levar pra cama, mas eu sou virgem e não quero perder com um galinha, mesmo sendo apaixonada por ele. Samantha: É melhor a gente ir! - dei um gole na cerveja. Ele não respondeu nada, apenas sorriu. Então me soltei dele, deduzindo que aquilo seria um 'sim'. Mas sua mão me puxou de volta, fazendo nossos corpos se chocarem, senti seus lábios nos meus, iniciamos um beijo quente, sua mão percorria cada parte do meu corpo, sem qualquer regra. Parei o beijo para recuperar o fôlego, finalizando com selinhos. Tiago: Vamos! - piscou. Ajeitei o cabelo, dei uma rápida retocada no batom quando estávamos no elevador. Meu irmão e a Juliana nos esperavam lá embaixo, discutindo como sempre. Bernardo: p***a, que demora! - me encarou. Samantha: Fui ao banheiro - murmurei, dando um sorriso de canto. Tiago: E eu estava procurando minha carteira. Vamos, então? - pegou as chaves da mão do Ber. Entramos nos quatro no carro, eu e a Ju fomos ao banco de trás, a mesma já estava embrazando com a garrafa de Absolut. A boate ficava localizada na Barra, em menos de vinte minutos, nós chegamos. Ficamos esperando na porta da boate, enquanto o Tiago foi conversar com alguém lá dentro, ele voltou com um cara, que falou algo para o segurança, que por fim colocou as pulseiras em nossos pulsos. Juliana: Vocês se pegaram? - perguntou, enquanto entravamos na boate. Samantha: Quem? - me fiz de desentendida. Juliana: Samantha! - suspirou impaciente - Comigo não! Samantha: Sim! - mordi o lábio inferior. Juliana: SABIA! - exclamou animada. Samantha: Ele quer dormir comigo, hoje! - por fim falei. Juliana: Tu vai? - franziu o cenho. Apenas dei de ombros. Encerramos esse assunto, era o momento de curtir. A Ju foi até o bar, voltou com duas doses de tequila, brindamos e viramos de uma vez. Juliana: Vamos pra pista! - sussurrou no meu ouvido, por conta do barulho. Assenti com a cabeça, ela me puxou pela mão, e fomos dançar. A boate estava lotada, meu irmão e o Tiago, haviam evaporado, o DJ colocou um funk pra tocar, com certeza isso era coisa do Bernardo. A Ju olhou para mim, sorri animada, ela entendeu o recado, começos a dançar, descendo e subindo no mesmo ritmo. Juliana: Amiga, vou pegar mais bebida pra nós! - falou alto. Samantha: Vai lá! - sorri. Continuei dançando, eu sabia que os caras estavam todos babando, joguei o cabelo pro lado. Senti uma mão apertar minha cintura, reconheci aquele perfume, era o Tiago. Tiago: Quando o Tiago mandar você desce, quando eu mandar você quica! - cantarolou no meu ouvido. Virei-me para ele, já estava animadinha demais pra ter timidez, segurei sua nuca com força, nos beijamos Ele mordia meus lábios com força, agarrava minha cintura com mais brutalidade ainda, que pegada, paramos o beijo com selinhos. Tiago: Vamos pro camarote, quero te ver sem essa roupa! - segurou meus cabelos. Samantha: Eu já vou lá, só preciso ir ao banheiro! - falei nervosa. Tiago: Não demora gostosa! - apertou minha b***a. Eu estava decidida a ir, só quis esperar a Juliana voltar, o que não demorou muito. Juliana: Toma gata! - me entregou um copo de Whisky. Bebi a metade do copo, em um gole só. Juliana: Eita, o que foi?! - me olhou assustada. Samantha: Vou pro camarote - sorri de canto - Com o seu irmão! Juliana: Não! - exclamou surpresa - Tu vai dar pra ele, Samantha? Samantha: Não sei, acho que não! - dei de ombros - Já volto! - pisquei. Virei o restante da bebida, deixei o copo em uma mesa qualquer, e ajeitei a saia. Resolvi passar no banheiro antes, arrumei o cabelo, retoquei o batom. Criei coragem e subi para o camarote, estava com um frio na barriga indescritível, quando cheguei à entrada, ouvi voz feminina. Imaginei que fosse impressão minha, então eu entrei. Samantha: TIAGO! - gritei. Meu mundo desabou nesse momento, ele estava se agarrando com uma morena, os dois estavam praticamente transando. Eles se viraram assustados, mas o mesmo não pareceu surpreso a me ver. Tiago: Sam vai pra lá. Depois a gente conversa! - fez sinal com o queixo, para a porta, para eu sair. As lagrimas começaram a cair freneticamente, minhas bochechas queimavam. Sai batendo a porta, desci para a pista em prantos eu esbarrava em todo mundo, sem me importar, achei a Ju na pista, conversando com um menino. Samantha: Amiga! - puxei seu braço, interrompendo a conversa. Ela me olhou assustada, pediu pro cara esperar e, veio falar comigo. Juliana: O que houve? - me encarou - Amiga o que aconteceu? Samantha: Seu irmão - eu soluçava compulsivamente - Ele tá transando com outra, no camarote! Juliana: Filho da p**a, meu! - deu um soco no ar - Não... Para, de chorar! Ele não merece te ver assim, eu sei que é difícil, mas, por favor! - segurou meu rosto. Samantha: Quero ir pra casa! - choraminguei. Juliana: Amiga, não! - suspirou - Olha, esquece isso, pelo menos agora! Vamos aproveitar, não vai se trancar em casa por causa dele! - suas mãos enxugavam minhas lagrimas. Samantha: EU QUERO IR PRA CASA! - alterei a voz. Juliana: p***a, Samantha! - me encarou impaciente - Me dá só um segundo. Já volto. Samantha: Espero-te no bar! - bufei de raiva. Sentei-me lá, para espera-la, pedi duas doses de tequila. Eu nunca fui de beber, mas aquilo pra mim foi o fim da linha, eu não queria ver o Tiago nem pintado de ouro. Continuei tomando, estava decidida a ir embora, já que a Ju não aparecia. Minha cabeça estava meio pesada, mas nada que me impedisse de pegar um táxi, estava um aglomerado na saída da boate, os seguranças seguravam um cara. XxXx: EU VOU ACABAR COM A SUA RAÇA, PLAYBOY DE MERDA! - ele gritava. Vi o Tiago jogado em um canto, seu rosto coberto de sangue. Bernardo: VAI FAZER O QUE, MACONHEIRO DO c*****o?! - ele gritou debochado. Outro cara surgiu, dando um soco no nariz do meu irmão. Samantha: BERNARDO! - gritei desesperada. Sai empurrando todo mundo, me ajoelhei ao seu lado. XxXx: EU JÁ MANDEI ME SOLTAR, p***a! - o cara que estava sendo segurado, berrou. XxXx: SAI DAQUI, PATRICINHA DOS INFERNOS! - o outro que bateu no Ber, me empurrou com força. Samantha: TEM QUE SER MUITO HOMEM, PRA RELAR EM MIM! - cerrei os dentes. xXxX: Cadu, vamos embora, p***a! - chamou a garota que estava se pegando com o Ti. Cadu: ESSES PLAYBOYS DO c*****o VÃO APRENDER A TRATAR UMA MULHER! - ele se soltou do segurança, e rapidamente tirou uma pistola da cintura. Segurança: ABAIXA ESSA p***a! - o mesmo tirou o revolver da cintura, também. O tal de Cadu encarava o Tiago friamente, era nítido o ódio em seus olhos. Em um momento de desespero, eu me joguei na frente do Ti, que parecia estar desacordado. Cadu: SAI DA FRENTE, c*****o! - ele me encarou com raiva, apontando o 38 na minha direção. Samantha: Não! - murmurei - EU NÃO VOU! - eu estava morrendo de medo, mas eu não ia permitir que ele machucasse o Tiago. XxXx: Cadu, que c*****o! - a garota puxou o braço do mesmo - Vamos embora, deixa esses playba do c*****o, pra lá! Cadu: CALA A BOCA, MARIANA! VAI PRO CARRO! - ele gritou autoritário - E VOCÊ, SAI DA FRENTE. SE NÃO EU ATIRO! - berrou impaciente, para mim. Samantha: PODE ATIRAR, EU NÃO LIGO! - meus dentes batiam. Cadu: Menina - ele se aproximou de mim, seus olhos estavam fixos nos meus - Não vou mandar, de novo! Permaneci ali, não falei uma palavra, estava assustada, mas não iria ceder. XxXx: p***a, SUJOU, CADU! OS VERMES TÁ TROMBANDO! - o outro cara, gritou eufórico. Cadu: Isso não terminou aqui! - piscou para mim. Foi uma correria, os seguranças tentaram pegar os três, mas infelizmente eles conseguiram fugir. A polícia chegou, eu sabia que se pegassem eu e a Ju ali, iria dar problema. Samantha: Bernardo levanta! - além de bêbado, ele estava muito machucado, mas conseguiu se sentar. Bernardo: Me... Deixa... Samantha! - resmungou, as palavras saíram emboladas. Samantha: Mas que droga, vamos embora logo! - tentei coloca-lo de pé. Fiquei procurando a Juliana com os olhos, mas estava uma muvuca, seria difícil encontrá-la. Peguei as chaves do carro, no bolso do Ber, com muita dificuldade, coloquei os braços do Tiago no meu ombro, e o abracei de lado, levando-o até o carro, seu nariz sangrava demais, o coloquei com cuidado no banco de trás. Sentei-me no banco do motorista, peguei o celular e liguei pra Ju. Chamou, chamou, por fim ela atendeu. IDL: Juliana: Amiga, cadê você? Samantha: Eu to aqui no carro, aconteceu uma confusão. Eu preciso que você traga meu irmão até aqui, ele está jogado na porta de saída. Juliana: Mas, cadê o Tiago? Samantha: Tá aqui, eu trouxe ele. Por favor, anda logo, tem polícia ai pra todo canto! Juliana: Vocês sozinhos ai? - senti malicia em sua voz. Samantha: p***a, JULIANA! ANDA LOGO! - desliguei. FDL Fiquei um bom tempo esperando, já estava pensando em voltar pra lá, quando vi a Ju arrastando o Bernardo na direção do carro, sai do mesmo, abri a porta de trás, e fui ajuda-la. Samantha: Vem, coloca ele aqui com o seu irmão! - segurei no braço do mesmo. Juliana: Sam, o que aconteceu? - me olhou confusa. Samantha: Eu não sei amiga, não sei! - balancei a cabeça. Juliana: Eu dirijo amiga! - pegou as chaves da minha mão. Mesmo sendo menor de idade, Juliana já dirigia, havia aprendido com o Tiago, eu achei meio arriscado, afinal ela não estava nem um pouco sóbria, mas não havia outra opção. Chegamos ao apartamento da Ju, sã e salvos. Levamos os meninos pra dentro, se o Ber chegasse em casa naquele estado, meus pais iriam surtar. Como a Ju morava apenas com a mãe, e ela estava viajando, seria melhor dormirmos lá. Juliana: Caraca, o nariz do Tiago tá sangrando demais. Ele não acorda, será que bateu com a cabeça? - olhou preocupada para ele, que estava jogado no sofá. Samantha: Não sei amiga! - dei de ombros - Vamos cuidar desse ferimento. Vou colocar o Bernardo pra dormir. Meu irmão estava dormindo no outro sofá, tirei sua roupa, e com a ajuda da Ju, dei um banho gelado no mesmo, peguei uma cueca do Tiago e o vesti, Juliana me arrumou uma caixa de primeiros socorros, limpei o ferimento no nariz e, coloquei o curativo. Samantha: Eu só queria saber, o que aconteceu! - suspirei, enquanto cobria o Ber, que iria dormir no sofá. Juliana: Eu também, amiga. Você viu alguma coisa? - me olhou de canto. Samantha: Um maluco apontou a arma na minha cara, se não fosse eu... - balancei a cabeça - Acho que seu irmão, estaria morto agora! - meu corpo gelou, ao lembrar a situação. Juliana: Meu Deus, amiga! - exclamou - Ouvi dizer que foi por causa de mulher! Samantha: Provavelmente! - suspirei desapontada. O caso do Tiago era mais critico, apos dar banho nele, colocamos o mesmo na cama. Sua respiração e seus batimentos cardíacos estavam normais.  Limpei seu rosto que estava todo machucado, provavelmente foi uma sequência de socos, fiz os curativos, em seguida o coloquei para dormir, lhe cobrindo.  A Ju já estava dormindo profundamente, quando entrei em seu quarto, mandei um Whats pra minha mãe, avisando que iriamos dormir lá, logo tirei minha roupa, ficando apenas de peças intimas e, adormeci. Minha cabeça parecia que iria explodir, quando acordei no dia seguinte. Juliana não estava na cama, me levantei lentamente e fui procura-la, a encontrei na cozinha, tomando café. Samantha: Bom dia, amiga - sorri para ela. Juliana: Cara - falou entre gemidos - Fala baixo, minha cabeça tá doendo! - pressionou os olhos. Samantha: Desculpa! Onde tem aspirina? - murmurei. Ela se limitou apenas em apontar para o banheiro, fui até lá, encontrando os remédios no armário. Levei para a cozinha, enchi um copo de água e tomei, em seguida dei para a Ju. Juliana: Eternamente grata! - sorriu. Samantha: E os meninos? - me sentei à mesa. Juliana: Dormindo!  

editor-pick
Dreame-Editor's pick

bc

Wild: A dama selvagem

read
1K
bc

Sequestrada por Jeff the killer

read
1K
bc

Expresso Frankfurt

read
1K
bc

O Destino está Selado

read
1.0K
bc

Doces Mentiras

read
2.4K
bc

LÚCIFER NA BABILÔNIA

read
1.7K
bc

Who is the next?

read
1K

Scan code to download app

download_iosApp Store
google icon
Google Play
Facebook